3 de janeiro de 2012

ABERTO PRA BALANÇO

                      O ano de 2011 foi intenso para produção nacional das Histórias em Quadrinhos. Para todos, ou melhor, para aqueles que se dispôs a arregaçar as mangas e fazer algo. Quem acompanha o que acontece dentro do mundo das HQ’s, sabe que nunca se publicou tanto material nacional quer por vias independentes, quanto pelas editoras, basta dar uma geral em blogs e sites especializados como Universo HQ, Blog dos Quadrinhos, Papo de Quadrinho e Impulso HQ para citar alguns, para que se tenha a noção do que falo. Isso dispensa maiores conversas, pois se trata de assunto notório. Da mesma maneira também, aconteceu uma grande quantidade de eventos sobre quadrinhos, sendo talvez o de maior repercussão, inclusive de público, o FIQ – Festiva Internacional de Quadrinhos em Belo Horizonte. Evento fantástico em todos, todos os sentidos e que foi um divisor de águas dentro do panorama nacional.
           A sede de criar é intensa, não tem jeito, então a cabeça vive bolando, elaborando planos, projetos, idéias. Um dia é pouco, um ano é pouco, uma vida pode ser pouca para se colocar em prática tanta coisa, Ordenar os sonhos e a paixão e produzir. Cumpro minha sina, de minha parte, pois é o que melhor sei fazer.
           “Histórias do Clube da Esquina”, trabalho com roteiro e desenhos meu e arte-final e cores do Omar, selecionado no ProAC de 2010 e lançado em final de agosto do ano passado, teve surpresas tremendamente satisfatórias, felizes, culminando com a notícia dada pela Livraria da Folha como o quadrinho mais vendido do ano, batendo inclusive lançamentos cultuados como “Sandaman Edição Definitiva vol. II”, chegando a aparecer inclusive no “Domingão do Faustão” no quadro de dicas de lançamento. Ano bom para os quadrinhos nacionais e é ótimo estar vivendo e atuando nesse momento. Ainda em 2011, lancei minha adaptação para o clássico “Auto da barca do Inferno” pela Editora Peirópolis, com cores também do parceirinho 100% Omar. Trabalho esse que teve também um bom retorno de crítica público, já comentado e bem debulhado aqui no Banda Mamão.
           De quebra, uma querida hq produzida para a revista “Café Espacial”#10, “As viagens do Capitão Virgílio”. Revista literária e cultural, produzida pela Associação Cultural Café Espacial dos queridos Sergio Chaves e Lídia Basoli.  Esse quadrinho conta as desventuras de um velho, o tal Virgílio do título, numa luta constante com o demônio da realidade que vive constantemente querendo tirá-lo de seu mundo onde é um intrépido navegante para deixá-lo apodrecer numa outra dimensão, onde é um velho moribundo enterrado em um sanatório. Dois mundos e apenas um só caminho, aquele verdadeiro que está no coração do audaz Capitão Virgílio. E assim é a nossa vida, brigando com mundos que nos impõe regras e verdades, onde constantemente nos sentimentos caídos, vencidos, derrotados, tudo ilusão para enganar aquilo puro e real que está em nosso coração. Assim como o Capitão Virgílio, quem dita as regras da nossa nau é nossa verdade. Por isso a conquista vem, mas o mar ainda é imenso, claro.

      
           

3 comentários:

Marcelo Cyrino disse...

Bela foto!!!
Feliz 2012 com muito HQ!!!

Anônimo disse...

Concordo, adorei a foto e nem precisaria repetir que "Clube da Esquina" é show! Elaine L. neto

DiasCamila disse...

Adoro mesas assim!
Abração,Mi