19 de novembro de 2009

"ELE" VAI PARA OS QUADRINHOS E VIRA "YESHUAH"

No próximo dia 04 de Dezembro teremos na Livraria HQ Mix aqui em São Paulo o lançamento de “Yeshuah – assim em cima assim embaixo”, trabalho com roteiro e desenhos meus e arte-final do Omar. Depois de um longo tempo, longo mesmo, várias histórias, a obra enfim sai através da Editora Devir. Aguardada por alguns e já conhecida por outros “mais chegados”.

Yeshuah” como já é sabido por muitos conta a história de Jesus dentro de uma visão pessoal, embora eu tenha me baseado primeiramente nos evangelhos canônicos como espinha dorsal, como base para o roteiro dessa história. O trabalho foi feito ao longo de nove anos praticamente e nesse tempo todo foi produzido aproximadamente 500 páginas o qual dividi em três volumes, o primeiro que sai agora, o segundo ainda sem título e que breve começo a preparar a edição e o terceiro que finalizo os desenhos. Por se tratar de um trabalho pessoal, obviamente tive que adaptar o ritmo de sua produção ao meu ritmo de trabalho no estúdio (e logicamente o Omar na arte-final).
Claro que no decorrer desses anos, muita coisa mudou e creio eu, foi melhorando, a começar do próprio título pensado inicialmente em “Ele” e durante um bom tempo a idéia era essa, com o passar do tempo percebi o quanto ligado à igreja católica esse título estava e, mesmo se tratando de uma visão pessoal, porém com bases nos textos do novo testamento, para mim era impensável ter essa ligação mesmo que indireta. No meio desse processo resolvi passar todos os nomes de personagens, localidades e termos para o hebraico e foi justamente nesse período que veio o nome definitivo: de “Ele” passou para “Yeshuah” que significa “salvação” em hebraico. Dentro do álbum, o nome de Jesus é Yeshu, tradução literal de seu nome. Curiosamente, essa mudança dos nomes para a língua hebraica, criou um certo distanciamento, como se fosse uma outra história, outros personagens: Maria virou Miriam, José Yosef, Joaquim (pai do João Batista) virou Yohahim, Belém virou Beth Lehem e por aí vai.
Cada volume fecha uma história, necessariamente o leitor não precisará acompanhar os três. Claro que a leitura completa, irá proporcionar o melhor entendimento de certas partes. A hq começa com Hannah, mãe de Miriam, seus problemas por já estar em uma idade avançada (pelo menos para época) e ainda não ter dado a luz e segue pela história de Miriam e a misteriosa gravidez justamente no momento em que fica noiva de um respeitável operário de Natzaret. A história de Miriam é o ponto central de praticamente todo esse primeiro volume. Yeshu entra na parte final da hq e o leitor vem a conhecê-lo, juntamente com seu irmão Yakov, ambos seguidores do batista Yohánan e é no meio do Jordão entre tantos seguidores que ambos conhecem Miriam, uma mulher independente, dona de seu nariz e desejosa por conhecer novas verdades espirituais que ela acredita ter encontrado em Yohánan, o batista, até conhecer aquele misterioso e curioso homem chamado Yeshu.

Nas próximas postagens, amigos, comentarei mais alguns detalhes e curiosidades desse trabalho. Coisas que acredito ser interessante trazer a vocês.


4 comentários:

JJ Marreiro disse...

Rapaz!!! Ele ficou parecido com o Inricristo. Hã...mas era óbvio, né? O Inricristo é cover do cara! :)

Mas vamos ao que interessa: Espero que a distribuição seja bem legal. Se não chegar nas livrarias daqui, vou pedir via correio mesmo.

Parabéns por mais essa vitória, Dr. Laudo.
Tem outro trabalho seu citado na matéria do link abaixo:
http://www.armagem.com/armagem_heretica/2009/11/por-onde-comecar.html#comments

estudiomize disse...

Muito bacana o projeto, vou querer meu exemplar com certeza.

Will disse...

Sou um dos felizardo a já ter visto esta obra e, só posso dizer que é IMPERDÍVEL. Leitura obrigatória, pelo conteúdo que a abordagem pessoal do Laudo nos proporciona e pelos exuberantes desenhos, que ele e o Omar tão bem souberam executar... Para mim é uma obra completa. Parabéns a ambos, desde que conheci este trabalho torcia muito para que ele fosse publicado e... agora está aí.
Recomendo!

Haroldo do Vale Junior disse...

Vi no Papo de quadrinho a resenha do Jota, e fiquei empolgadíssimo pra ler. gostei do fato de se ter usado os nomes hebraicos com o intuito de não se ligar a nenhuma religião e tals...
espero poder encontrar logo, logo nas livrarias especializadas.
Meus parabéns pelo lançamento!!!